quinta-feira, 1 de outubro de 2009

CONCEITO DE KATA

Conceito de Kata

Parece certo que a maioria dos kata teve origem na China e migraram para Okinawa juntamente com as delegações chinesas que representavam o governo chinês na ilha, uma vez que a cultura Chinesa sempre foi muito fértil ao lidar com a transmissão de sistemas de combate através se sequências de movimentos predeterminados, que deveriam ser repetidos para desenvolvimento das qualidades físicas para domínio de determinada técnica de luta ou técnica de respiração...

Os Kata, assim, representam o que o livro representa para a cultura de um modo geral: um marco, um ponto de consulta em torno do qual a habilidade se desenvolve, mas que não tem sentido em si mesmo e foram criados para conter as técnicas de combate de um determinado mestre ou grupo de mestres de determinada escola.

Todos os praticantes de karate-do sentem-se diante dos kata como um aluno que sabe ler diante de uma biblioteca, se o que o move é a busca do aperfeiçoamento, ele tem a sede de procurar aprender aquelas técnicas novas.

É, junto com as graduações e a hierarquia, outro ponto importante na presença da tradição japonesa dentro do Karate, pois o ocidental é avesso ao pensamento das formas estanques, preferindo regras gerais a sistemas fechados, aos quais se rebela pela sua própria formação cientificista, não concebendo no que a repetição de uma sequência de movimentos poderia ter mais efeito que um trabalho específico de musculação e condicionamento por exemplo.

Mas os mestres que inventaram os kata cultivavam o físico também, e eram exímios ginastas, e, ao codificar os kata estavam ensinando, pois sabiam que a ginástica pura e simples nao conseguiria motivar ninguém por muito tempo.

Os diferentes kata definem os estilos de karate, sendo que cada um deles tem os seus, embora, no dizer do Mestre Funakoshi na sua biografia, muitos estilos existem só porque um determinado professor não tinha habilidade para executar um kata de um modo, e entendia que deveria ser de outro modo (que ele conseguia...) só reconhecendo 4 estilos principais (nem o seu ele reconhecia, por sabê-lo ter sido criado a partir de uma mescla de outros).

Os Kata são meio importante de se definir o nível de um praticante de karate-do, pois se se define o karateka por treinar os kata regularmente, se define o nível que se encontra pela habilidade que demonstre no treinamento de kata específicos de acordo com sua graduação.

Os vários Mestres não são unânimes a este respeito sobre quais kata pertenceriam a cada nível, mas o certo é que existem estas gradações e cada escola pode refletir e criar seu próprio pensamento neste sentido.

Os seguintes elementos devem ser verificados na prática do kata:


1 - Conhecimento sobre o kata na sua história e objetivos
2 - A seqüência correta de movimentos e as aplicações possíveis de cada movimento
3 - A correta aplicação da força muscular (KIME)
4 - A correta respiração (IBUKI)
5 - O ritmo adequado dos movimentos
6 - A aplicação correta dos KIAI
7 - A firmeza nas bases
8 - A reserva de espírito (zanshin)

Importante destacar que não é a quantidade de kata que se sabe que define o verdadeiro karateka, mas o quanto se domina cada um deles. Não faço apologia da ignorância e aconselho que se conheça a sequência do máximo de katas possível, mas que, ao mesmo tempo, se treine intensamente todos os dias cada um deles que for possível de modo a ter sempre progresso.

Muitos alunos entendem que devem aprender sempre algo novo e se admiramos esta postura, entendemos que é perigosa se o entendimento do aluno for apenas a busca de novidade para se motivar, pois há cerca de 53 katas só (os demais são variações deles); mas pode ser proveitosa se for instrumentação pessoal para o crescimento organizado depois...

Há professores que querem controlar todo o aprendizado de seus alunos neste sentido e outros que os deixam mais livres neste sentido, independente disto o importante é estar treinando porque o karate não é um esporte teórico que se deve entender, mas prático e se deve principalmente fazer.

Sobre quando treinar um kata, é importante destacar que a execução de um kata amadurece com o tempo, porque é só depois que as dificuldades técnicas foram superadas é que a mente consegue espelhar o chamado espírito do kata e dar "vida" a ele, como no teatro que, só depois que se decorar a peça e que se pode trabalhar a interpretação propriamente dita.

No nosso entender, o karateca deve dar primazia ao estudo e prática dos kata. Deve aprender os tudimentos da luta sim, mas enfatizar o estudo e prática dos kata, pois, depois, quando for faixa preta, será o conhecimento dos kata que vai diferenciá-lo de professores de outras artes marciais e mesmo de outros professores de karate.

Nenhum comentário:

SEJAM BEM VINDOS!

"A todos que passarem por essa página, desejo que Deus os abençoem e que traga a todos um raio de esperança e fé.