sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Memória e raciocínio se deterioram a partir dos 40 anos, diz estudo


Neurologia

Memória e raciocínio se deterioram a partir dos 40 anos, diz estudo

Em 10 anos, o rendimento de raciocínio caiu 3,6% para os homens e mulheres de 45 a 49 anos


Cognição: capacidade de raciocinar e compreender diminuem rapidamente conforme envelhecemos

Cognição: capacidade de raciocinar e compreender diminuem rapidamente conforme envelhecemos  (Thinkstock)

A memória e o raciocínio começam a se deteriorar a partir dos 40 anos de idade, muito antes dos 60 anos, como se acreditava de maneira geral. A descoberta foi feita por um estudo publicado nesta sexta-feira pela revista médica britânica British Medical Journal (BMJ).
"Nossa capacidade de raciocinar e compreender começa a declinar já a partir dos 45 anos de idade", afirma um comunicado do Instituto Nacional de Saúde e Pesquisa Médica (INSERM) francês, responsável pelo estudo. Segundo o INSERM, os resultados mostram que o rendimento cognitivo (com exceção dos testes de vocabulário) diminui com a idade, e isto ocorre cada vez mais rapidamente na medida que as pessoas envelhecem
Pesquisa - Na análise, desenvolvida por especialistas do INSERM francês e da University College de Londres, a saúde mental de mais de 7.000 pessoas foram estudadas e acompanhadas por dez anos (1997-2007). Os participantes eram funcionários públicos do Reino Unido, com idades entre 45 e 70 anos. As funções cognitivas dos voluntários foram medidas três vezes durante os dez anos. A ideia era avaliar a memória, o vocabulário, a audição e a compreensão.
Entre os testes aplicados, estavam: o de escrever a maior quantidade de palavras que pudessem lembrar que começassem com a letra S, ou a maior quantidade de nomes de animais. Todas as pontuações cognitivas, com exceção do vocabulário, começaram a diminuir entre todos os grupos de idades que foram avaliados. Porém, o decréscimo foi mais acentuado entre os funcionários com maior idade.
Em 10 anos, o rendimento de raciocínio caiu 3,6% para os homens de 45 a 49 anos, e 9,6% para os de 65 a 70 anos. No caso das mulheres, a queda é a mesma (-3,6%) para o primeiro grupo etário e menos considerável (-7,4%) para as mulheres de 65 a 70 anos.
Para Archana Singh-Manoux, que coordenou a equipe do INSERM, é importante determinar a idade de início do declínio cognitivo. "Isso porque possivelmente é mais eficaz atuar desde o começo desse declínio, em particular com o uso de medicamentos, para mudar a trajetória do envelhecimento cognitivo".
Controvérsia - Apesar de estar claro que o rendimento cognitivo diminui com a idade, a data de início da queda gera controvérsia. Estudos recentes descartaram que o fenômeno pudesse começar antes dos 60 anos, segundo o INSERM. "A expectativa de vida segue aumentando e entender o envelhecimento cognitivo será um dos desafios deste século", concluíram os pesquisadores. Os especialistas também destacaram a importância de levar uma vida saudável, já que isto é muito beneficente em longo prazo.
(Com agências EFE e France-Presse)

Nenhum comentário:

SEJAM BEM VINDOS!

"A todos que passarem por essa página, desejo que Deus os abençoem e que traga a todos um raio de esperança e fé.