sábado, 14 de agosto de 2010

Não faça julgamentos precipitados




Ninguém sabe o dia de amanhã...


Havia em uma aldeia um velho muito pobre que possuía um lindo cavalo branco. Muitos queriam comprar o cavalo do velho, mas ele não vendia este cavalo por fortuna alguma.

Em uma manhã ele descobriu que o cavalo não estava mais na sua cocheira.
Daí os vizinhos disseram ao velho:
- Mas que desgraça velho, seu cavalo foi roubado! Viu se tivesse vendido por aquela quantia hein?

E o velho respondeu:

- Calma, não cheguem a tanto. Simplesmente digam
que o cavalo não está mais na cocheira.
-O resto é julgamento de vocês.

As pessoas riram muito do velho naquele momento.
- Mas é louco este velho não dá pra entender, o cavalo valioso sumiu e ele ainda mantém a calma.

Quinze dias depois, de repente, o cavalo voltou.
 
Ele havia fugido para a floresta. E não apenas isso;
Ele trouxera uma dúzia de cavalos selvagens consigo.
 

Novamente as pessoas se reuniram e disseram:
- Velho você tinha razão.
 
Não era mesmo uma desgraça, e sim uma benção.
E o velho disse:

- Vocês estão se precipitando de novo ao fazer julgamentos.
Ninguém pode dizer se é uma benção ou não.
 
Apenas digam que o cavalo está de volta.

O velho tinha um único filho que começou a treinar os cavalos selvagens.
 
Apenas uma semana mais tarde, ele caiu de um dos cavalos e fraturou as pernas e os médicos tiveram que amputa-las.
 
As pessoas se reuniram e, mais uma vez, se puseram a julgar:

- E não é que você tinha razão, velho? Foi uma desgraça seu único filho perder o uso das duas pernas.
 

E o velho disse:
 

-Parem com isso, vocês continuam obcecados por julgamentos, hein?
 
-Não se adiantem a tanto.
 
Digam apenas que meu filho fraturou as pernas.
 
-Ninguém sabe ainda se isso é uma desgraça ou uma bênção...

Aconteceu que, depois de algumas semanas, aquele estado entrou em guerra e todos os jovens da aldeia foram obrigados a se alistar, menos o filho do velho porque estava com a fratura.

E todos os que foram para a guerra não voltaram mais para as suas casas.

Quem é obcecado por julgar, cai sempre na armadilha de basear seu julgamento em pequenos fragmentos de informação, o que o levará a conclusões precipitadas.

Cada qual está certo dentro do que sabe ....... Somos seres imperfeitos e com defeitos! Ninguém é dono da verdade!

Nunca encerre uma questão de forma definitiva, pois quando um caminho termina, outro começa, quando uma porta se fecha, outra se abre.
 

Às vezes enxergamos apenas a desgraça, e não vemos a benção que ela nos traz.

Onde alguns vêem problemas nós enxergamos oportunidades.

Da mesma forma com que julgais sereis julgados, assim disse o Mestre dos Mestres, Jesus, O Cristo de Deus.

4 comentários:

Marilu disse...

Querido amigo, lindo texto para reflexão..Beijocas

DINEI FAVERSANI disse...

Grato amiga Marilu. Beijos.

FATIMA.gil35@hotmail.com disse...

QUE LUZ!!!!!!

DINEI FAVERSANI disse...

Grato amiga Fátima pela visita e carinho. Beijos em teu coração. A LUZ DE DEUS NUNCA FALHA!

SEJAM BEM VINDOS!

"A todos que passarem por essa página, desejo que Deus os abençoem e que traga a todos um raio de esperança e fé.