terça-feira, 27 de dezembro de 2011

O PERIGO DO JULGAMENTO PRECIPITADO


A passagem bíblica abaixo, é um referencial para medirmos como agimos no que se refere ao julgamento dos "pecados" alheios, prática tão comum em nosso dia-a-dia lamentavelmente.


MULHER ADULTERA (JOÃO 7.53 - 8.11)


Abaixo o texto na íntegra:


53. E cada um foi para sua casa 
João 7:53


01. Jesus, porém, foi para o Monte das Oliveiras.
02. E pela manhã cedo tornou para o templo, e todo o povo vinha ter com ele, e, assentando-se, os ensinava.
03. E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério;
04. E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando.
05. E na lei nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?
06. Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra.
07. E, como insistissem, perguntando-lhe, endireitou-se, e disse-lhes: Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.
08. E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.
09. Quando ouviram isto, redargüidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus e a mulher que estava no meio.
10. E, endireitando-se Jesus, e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?
11. E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais. 
João 8:1-11


Dessa passagem podemos tirar lições práticas para a nossa vida diária:


1º) Os escribas e fariseus tentaram tirar proveito pelo fato de que Jesus estava rodeado de várias pessoas (versículo 02), e colocaram diante dele uma situação grave, que poderia resultar em apedrejamento, todavia, a primeira atitude de Jesus foi acalmar o ânimo dos acusadores da mulher flagrada em adultério, posto que, não respondeu de imediato, tanto que agachou-se para escrever, e somente após muita insistência  (versículo 07) dos acusadores deu a sua resposta. Quantas vezes em situação de pressão, passamos a dar respostas automáticas, sem buscar a reflexão necessário, na  busca da melhor resposta;


2º) Outra lição prática que podemos tirar é com relação ao julgamento. Jesus era isento de pecado, portanto, possuía autoridade para o julgamento, todavia, não o fez, pelo contrário, confrontou os acusadores com suas consciências, posto que, o critério para o julgamento era a isenção de pecados (versículo 07). Vivemos julgando os semelhantes, sem possuirmos autoridade sobre os julgados, vez que, não somos isentos de pecados.
O objetivo de Jesus era censurar a hipocrisia e convidar as pessoas a um exame de consciência antes de julgar os outros. À medida que refletissem sobre seus pecados, o desejo de punir outra pessoa desapareceria. Isso combina com a ordem de Jesus de tirarmos a trave do nosso próprio olho antes de queremos retirar o argueiro do olho do nosso irmão. Mateus 7.1-5, abaixo transcrito:


"Não julgueis, para que não sejais julgados.
Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.
E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?
Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu?
Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão." 
Mateus 7:1-5


O texto de João 7.53, 8.01-11, também expõe outras situações, a saber:


1º) As leis do Antigo Testamento, exigia que em caso de adultério, fossem condenados os envolvidos (Lv 20.10; Dt 22.22), ou seja, a mulher e o homem. Entretanto, somente trouxeram a mulher, onde estava o homem? Abaixo os textos bíblicos citados:


"Também o homem que adulterar com a mulher de outro, havendo adulterado com a mulher do seu próximo, certamente morrerá o adúltero e a adúltera." 
Levítico 20:10


"Quando um homem for achado deitado com mulher que tenha marido, então ambos morrerão, o homem que se deitou com a mulher, e a mulher; assim tirarás o mal de Israel." 
Deuteronômio 22:22


2º) A tentativa dos escribas e fariseus era expor Jesus a um dilema, pois, se Jesus discordasse do apedrejamento da mulher adultera, estaria contrariando a lei mosaica (Lv 20.10; Dt 22.22); e caso concordasse, seria uma subversão à autoridade romana, vez que, a pena capital somente caberia aos romanos (João 18.31), e bem como, seria contra os pecadores que Jesus veio salvar. Abaixo texto de João 8.31:


Disse-lhes, pois, Pilatos: Levai-o vós, e julgai-o segundo a vossa lei. Disseram-lhe então os judeus: A nós não nos é lícito matar pessoa alguma. 
João 18:31




3º) E, por fim, a lição final de Jesus, ama o pecador, mas não compactua com o pecado, pois, no versículo 11, assim conclui: "11. E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te, e não peques mais.


Muitos afirmam que amam a Jesus, entretanto, se recusam a aceitar e praticar os seus ensinamentos. Jesus nos mostra como devemos agir em relação ao julgamento e ao pecado, devemos abster-nos dos dois, e buscarmos um novo nascimento, para que a glória de Deus seja sobre as nossas vidas. Abaixo alguns textos para reflexão


"Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus."
João 3:3


"Admoesta-os a que se sujeitem aos principados e potestades, que lhes obedeçam, e estejam preparados para toda a boa obra;
Que a ninguém infamem, nem sejam contenciosos, mas modestos, mostrando toda a mansidão para com todos os homens.
Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados, servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros.
Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens,
Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo,
Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador;
Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna.
Fiel é a palavra, e isto quero que deveras afirmes, para que os que crêem em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas aos homens.
Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas, e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs.
Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o,
Sabendo que esse tal está pervertido, e peca, estando já em si mesmo condenado." 
Tito 3:1-11




Dinei Faversani - Administrador - 27/12/2011 - Estudo Bíblico nº 01

SEJAM BEM VINDOS!

"A todos que passarem por essa página, desejo que Deus os abençoem e que traga a todos um raio de esperança e fé.